ABAÉ – Clínica de Desenvolvimento Humano
Oferece orientação para uma real oportunidade de RECUPERAÇÃO para os pacientes de DEPENDÊNCIA QUÍMICA(cigarro, álcool e outras drogas) e DEPRESSÃO, em um cenário onde os tratamentos convencionais
não surtiram efeito.
A única com tratamento fitoterápico e ortomolecular.
Todos os fitoterápicos e suplementos usados são registrados e com técnico farmacêutico responsável.
Temos tratamento especializado para tabagismo, sem o risco de depressão, ansiedade e engordar.

SOBRE NÓS

A experiência desde 2005 em tratamentos de dependentes químicos, com as inovadoras técnicas de tratamentos fitoterápicos e ortomolecular, só poderia ter um resultado:


– mais de 80% dos pacientes com resultados satisfatórios, com mais de 3.500 pacientes atendidos.

 

Somos uma equipe técnica especializada, unida pelo propósito primordial em ajudar na prevenção, intervenção e tratamento da dependência química, sempre buscando a ética, transparência, verdade, honestidade e idoneidade; perseguindo continuamente uma postura socialmente responsável.

Os mais recentes estudos científicos comprovam que a maioria dos casos de sucesso no tratamento da dependência química envolve duas abordagens: a psicoterapia e a fitoterapia, (que faz o uso de produtos com agentes ativos extraídos da natureza e tem apresentado uma alta efetividade e resultados surpreendentes. Estes produtos naturais não causam abstinência, dependência e confusão mental, além de serem extremamente seguros).

O TRATAMENTO

1ª fase do tratamento - 4 à 5 dias na clínica:

Ocorre de modo ambulatorial, não precisa de internação. Exigindo do paciente apenas motivação para o tratamento. 

 

A partir da triagem psicológica/psiquiatra e exames preliminares (TGO- TGP e eletrocardiograma com cardiologista),  é feita a desintoxicação. Em seguida,  de forma individualizada, respeitando as características de cada paciente, a dosagem dos fitoterápicos a ser administrada é estabelecida pelo Fitoterapeuta, e da suplementação ortomolecular pela Nutricionista.

A administração acontece de modo fracionado com duração de 4 à 5 dias.

ABAÉ visando melhor resultado e bem estar do paciente durante o tratamento, inseriu técnicas de terapia alternativa, como: Cromoterapia, Musicoterapia, Aromaterapia, Acupuntura e acompanhamento com Psicóloga (Psicoterapia), Coach (mudança de comportamento) e Nutricionista (reeducação alimentar).

 

Com poder de atuação nos âmbitos físico e emocional. O paciente permanece o tempo todo lúcido, acordado, porém, em um estado de introspecção.

 

Desde o primeiro dia, ocorre a diminuição dos sintomas de abstinência física e emocional. Com a conclusão das sessões, ocorre a extinção de vontade de usar, sintomas de abstinência e compulsão. Somada a expansão de consciência gerada pelo tratamento fitoterápico, o paciente passará a compreender seu vício e a si mesmo, tornando-se capaz de elaborar seu processo de recuperação. O tratamento regula a liberação e absorção dos hormônios do bem estar e prazer, como endorfina, serotonina, dopamina, oxitocina, etc... diminuindo consideravelmente o quadro depressivo e a vontade de usar drogas e álcool sem abstinência. Assim, sem os sintomas físicos da abstinência, o paciente torna-se capaz de se concentrar nas causas psicológicas da doença.

2º fase do tratamento - 3 meses de manutenção em casa:

 O paciente leva o reforço dos fitoterápicos  e da suplementação ortomolecular para manutenção de 3 meses para tomar em casa...onde ocorre o acompanhamento de forma presencial (se o paciente morar próximo) com a equipe técnica (Psicólogo, Coach, Fitoterapeuta e Nutricionista) ou por telefone, para tirar suas dúvidas e se sentir mais seguro.

Todos os fitoterápicos e suplementos usados são registrados e com farmacêutico técnico responsável.

Durante a 1ª fase do tratamento oferecemos hospedagem para paciente e acompanhante em um ótimo hotel.

Estamos próximo da rodoviária e do Aeroporto Campinas, facilitando o tratamento de pacientes de todo Brasil.

A IBOGAÍNA 

Alçada desde então como nova esperança de cura para a dependência química, a ibogaína é extraída da planta Iboga, originária do Gabão, no oeste da África. Seu suposto poder de cura começou a ser falado nos anos 60, quando o americano Howard Lotsof, então com 20 e poucos anos e viciado em heroína, viajou para África e foi apresentado ao que julgou ser a viagem mais louca de sua vida por meio da ingestão de ibogaína. Depois de experimentar a substância, Lotsof não sentiu mais vontade de usar heroína e dedicou sua vida a entender esse efeito.

 

Quando voltou aos EUA, nos anos 80, Lotsof publicou uma série de pesquisas sobre a eficiência da ibogaína para o fim do vício em drogas. Só a partir dos anos 2000, porém, que o assunto foi resgatado por mais cientistas e levado aos laboratórios.

 

A partir das pesquisas recentes, sabe-se que, além de fazer a pessoa sonhar acordada, a ibogaína tem como efeito forte enjôo e tonturas. "É uma experiência desagradável, a viagem é ruim. O paciente vomita, sente tontura, os pensamentos ficam confusos", explica Dr. Bruno Rasmussen, participante da pesquisa da Unifesp e um dos clínicos dos pioneiros em pesquisa com ibogaína no Brasil. "Esse efeito dura de quatro a oito horas. É muito desconfortável do ponto de vista físico, mas não do ponto de vista mental."

 

A susbtância, no entanto, não é considerada alucinógena. O psiquiatra chileno Claudio Naranjo descreveu a ibogaína como um oniro frênico, uma substância que faz o cérebro sonhar, e não alucinar. "É um sonho acordado", explica Dr. Rasmussen. "Você está acordado, mas você sonha." 

 

A ibogaína tem efeito que os especialistas chamam de expansão de consciência. Segundo os pesquisadores, faz o paciente perceber quais são as coisas que estão prejudicando sua vida e o que pode fazer para melhorar. O biomédico Eduardo Schenberg, um dos autores da pesquisa da Unifesp e que agora conduz teste clínico com MDMA, explica que é como se a ibogaína mostrasse um filme de horror que faz com que o paciente tome consciência do seu caminho errante. O Felipe ``paciente que fez tratamento com ibogaína´´,  contou que é assim mesmo: "Tive muitas lembranças da minha infância, coisas que eu nem sabia, vi imagens assustadoras. Também vi coisas relacionadas à natureza, mas com formas e cores diferentes."

 

Psicologicamente, a viagem da ibogaína foi o que mudou a vida do Felipe. Ele me contou ao telefone que, apesar de ter passado muito mal, se sentiu muito bem. "Muita coisa mudou, era como se tivessem tirado meu cérebro sujo e me dessem um cérebro novo. Peguei gosto pela leitura, pelo estudo, e eu nunca gostei de estudar. Voltaram algumas coisas que eu tinha dentro de mim e que tinham morrido com a droga, que acaba com a pessoa", relata.

 

No cérebro, o Dr. Rasmussen explica que a substância faz aumentar um hormônio responsável pela reconexão dos neurônios. "Isso reequilibra os neurotransmissores e faz com que o paciente não tenha mais necessidade de usar droga", diz.

 

Segundo Dr. Schenberg, existem mais de três mil relatos na literatura médica de sucesso no uso da ibogaína no tratamento de dependentes químicos. Ele conta que o período de abstinência depois de ingerir a substância chega a ser de cinco a oito meses. "A gente entende que isso acontece porque a experiência é tão intensa, em alguns aspectos tão negativa e assustadora – alguns pacientes chegam a acreditar que estão morrendo de fato, mas é uma morte psicológica, um efeito psíquico, não físico – que a pessoa sai do ritmo e consegue dar uma pausa naquela vida", afirma.

veja os vídeos:

INTERNAÇÃO

Para pacientes que não aceitam ou não podem fazer o tratamento fitoterápico,  temos unidades de internação voluntária e involuntária, masculina e feminina, com RESGATE se necessário. 

O tratamento de internação involuntária é de 4 meses... com equipe multidisciplinar e uma abordagem motivacional para mudança de comportamento, voltado para o paciente aderir o tratamento e buscar o desejo de parar de usar drogas

O lugar é muito bonito, porém, o mais importante é a equipe especializada em dependência química: 

- Psiquiatra -Psicóloga -Enfermagem -Nutricionista -Farmacêutico -Terapeuta ocupacional

... e somos uma das poucas que tem todos os certificados de licença: Anvisa, Cremesp, Coren, CRF, Febract.

Muitos pacientes passam por internação antes de fazer o tratamento fitoterápico. Entre em contato para ter mais informações.

AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO

A dependência química é uma doença, sendo assim fazemos uma avaliação com a família e/ou paciente, com psicóloga com extensão em psiquiatria e especialização e ampla experiência em dependência química; para avaliar a situação e orientar para o melhor tratamento.

Com isso alcançando um resultado mais satisfatório.

 

FALE CONOSCO

whatsapp 24hrs: (19) 9.9705.5362

email:    abae.sac@gmail.com

Para saber mais sobre tratamentos e valores, preencha o formulário que

entraremos em contato:

Veja depoimentos de pacientes em nossas redes sociais:

  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • Abaé

© 2005 - Abaé Desenvolvimento Humano - Todos direitos reservados. 

2019-01-17_17.19.15